Home Ceará Casal é infectado com doença rara que deixa a urina preta por peixe comprado em Fortaleza

Casal é infectado com doença rara que deixa a urina preta por peixe comprado em Fortaleza

4 Primeira leitura
0
0
56
Casal cearense foi vítima de doença rara após comer peixe comprado em Fortaleza. A advogada Karyne Castro, 39 anos, e o marido, Handerson Castro, 38, moram em São Paulo e levaram a carne após visita à Capital do Ceará. Os dois foram infectados com a doença de Haff, complicação que deixa a urina da vítima escura e causa dores intensas. A informação foi divulgada pela Folha de S. Paulo.
Karyne e Handerson dizem ter comido o peixe, conhecido como arabaiana ou olho-de-boi, em duas ocasiões, ambas em agosto deste ano. Na primeira, sentiram algumas dores temporárias. Quatro dias depois, após ingerirem o alimento novamente, precisaram ser internados na unidade semi-intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein.
A doença é provocada por toxina presente na carne dos animais. O produto danifica os músculos do corpo humano, satura o sangue de proteína e sobrecarrega os rins. A enfermidade perde força com o passar dos dias. A preocupação dos médicos é com os danos que podem causar definitivamente às funções renais. Atualmente, o casal já teve alta e é monitorado semanalmente por médicos.
Urina preta
Em fevereiro de 2017, os cearenses ficaram em alerta com pelo menos dez casos da doença no Estado. À época, foi chamada de “doença da urina preta”. Pesquisas ligaram o sintoma à real enfermidade: doença de Haff. Artigos de Antonio Carlos Bandeira, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Gúbio Soares, também da UFBA, e outros 11 pesquisadores foram publicados sobre o assunto.
Estudos analisaram fezes, urina e sangue de 15 pacientes. Destes, 14 pessoas relataram o consumo de peixe – a maioria olho de boi (Seriola spp) e badejo (Mycteroperca spp). A 15ª pessoa afirmou ter ingerido comida baiana, o que possivelmente poderia incluir essas espécies.
Os primeiros casos de doença de Haff foram descritos em 1924, na Rússia e na Suécia, e envolveram o consumo de diferentes peixes de água doce. No Brasil, um surto de 27 casos de doença de Haff ocorreu em 2008, durante 4 meses no estado norte do Amazonas. Os peixes de água doce pacu-manteiga (Mylossoma duriventre), tambaqui (Colossoma macropomum) e pirapitinga (Piaractus brachypomus) foram os causadores.
Redação O POVO Online
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Ceará

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

7 órgãos abrem inscrições para mais de 100 vagas nesta segunda-feira

Pelo menos 7 órgãos abrem as inscrições nesta segunda-feira (22) para mais de 100 vagas em…