Home Geral Prefeito suspeito de matar desafeto político reassume cargo em Santana do Acaraú, no Ceará

Prefeito suspeito de matar desafeto político reassume cargo em Santana do Acaraú, no Ceará

5 Primeira leitura
0
0
20

O Prefeito Raimundo Marcelo Arcanjo reassumiu a prefeitura de Santana do Acaraú, na região Norte do Estado, na manhã desta segunda-feira (05). O Prefeito é suspeito de ter assassinado um homem no dia 29 de agosto e, desde então, estava afastado do cargo. Em entrevista ao G1 CE, o político informou apenas que reassumiu a função após uma licença de dois meses para “tratar de assuntos particulares” estar acabando.

No dia 29 de agosto, no bairro Retiro, Marcelo Arcanjo teria entrado na casa de Augusto César do Nascimento, conhecido como ‘César da Regina’, por volta das 18h30, e disparado várias vezes contra o homem, na cabeça. Após a execução, o prefeito fugiu.

Raimundo Arcanjo tem porte de arma de fogo por ser policial federal aposentado. Ele esteve foragido por seis dias após o homicídio do ex- funcionário da prefeitura Augusto César do Nascimento, mas se entregou no dia 4 de setembro. Apesar de evitar a prisão em flagrante, o prefeito tinha mandado de prisão em aberto e chegou a ficar detido. Agora, ele responde em liberdade e, como não há condenação, a lei não o impede de exercer o mandato.

Em entrevista à nossa reportagem, por telefone, Raimundo Arcanjo disse que resolveu antecipar a volta – a licença termina no sábado (10) – para cuidar das contas da Prefeitura. “A licença vence no próximo sábado e é por isso que estou voltando agora, para consultar as contas. Aquela burocracia toda”, explicou.

Perguntado sobre o crime do qual é investigado, ele se recusou a comentar. “Eu estou voltando para cumprir o meu mandato. Esse assunto eu me recuso a falar. Falo somente ao Juiz. Está entregue à Justiça. Estou à disposição da Justiça. Esse assunto eu trato somente com as autoridades e o Ministério Público”, afirmou.

O crime

Augusto trabalhou como motorista da Secretaria Municipal de Ação Social do município e, conforme a Polícia, foi exonerado do cargo no começo deste ano.

Na época do assassinato, o delegado responsável pelo caso chegou a dizer que o crime teve relação política. Em depoimento, o prefeito afirmou que o ex-servidor espalhava informações falsas sobre ele desde que havia sido exonerado do cargo que ocupava na gestão.

“Tem relação com a política. A vítima se sentia desprestigiada pelo tratamento que o gestor deu a ele. Achava que tinha sido injustiçado porque foi demitido. E por essa razão criticava a gestão. Além da crítica, havia o comentário da vítima de que a primeira dama teria recebido R$ 10 mil em propina. Isso enfureceu o autor e ele foi até a casa da vítima para tomar satisfações da crítica”, detalhou à época o delegado Marcos Aurélio.

G1/CE

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Geral

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Campanha de Haddad declara que gastou 15 vezes mais do que Bolsonaro informou ao TSE

O candidato do PT a presidente, Fernando Haddad, declarou à Justiça Eleitoral despesas de …