Home Ceará Rios cearenses não alcançam boa qualidade da água, diz levantamento

Rios cearenses não alcançam boa qualidade da água, diz levantamento

3 Primeira leitura
0
0
83

A sustentabilidade dos principais recursos hídricos do Ceará se mantém em situação de alerta. É o que aponta relatório divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica, neste Dia Mundial da Água (22/03), ao constatar que, dos oito rios e mananciais cearenses monitorados pela instituição, nenhum possui qualidade boa de suas águas.

Os rios Pacoti, Ceará, Cocó, Curu, os riachos Maceió e Parreão, a lagoa do Porangabussu e o açude Santo Anastácio foram classificados como regulares, levando em consideração indicadores como temperatura da água e do ambiente, espumas, lixo flutuante, coliformes totais, entre outros. A análise foi feita entre março de 2018 e fevereiro de 2019.

O resultado faz parte da pesquisa “O retrato da qualidade da água nas bacias da Mata Atlântica”, feito a partir da análise de 220 rios brasileiros. O levantamento conclui que, em todo o País, os índices de qualidade dos mananciais estão perdendo sua capacidade de abrigar vida aquática, de abastecer a população e de promover saúde e lazer para a sociedade.

Dos 278 pontos de coleta de água monitorados no Brasil, somente 18 (6,5%) apresentaram qualidade boa e nenhum ótima. Outros 207 (74,5%) apresentam qualidade regular, 49 (17,6%) qualidade ruim e 4 (1,4%) péssima.

De acordo com o relatório, os usos desordenados ao longo do curso dos rios, assim como a falta de saneamento básico acabaram provocando interferência direta na qualidade da água. Já entre os mananciais que se mantiveram em boas condições, relaciona-se a existência de florestas, matas nativas e áreas protegidas.

Recuperação

Nas unidades de conservação do Ceará, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) destaca promover ações de recuperação, como a limpeza do rio Cocó, que garantiu o retorno da navegabilidade em alguns trechos; assim como a ampliação da Área de Proteção Ambiental – APA – do Estuário do Rio Ceará, com a incorporação do seu principal afluente, o rio Maranguapinho, totalizando quase 4 mil hectares de área protegida.

 

G1/CE

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Ceará

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

IFCE de Iguatu lança edital complementar de seleção para cursos técnicos

Até o próximo dia 22, pessoas que já concluíram o ensino médio terão uma nova oportunidade…